Resenha: Ladrões de Elite

Ripley é, na verdade, um golpista. Mas com a leitura do livro no qual ele “rouba” a vida de seu amigo, já pude saber, mais ou menos, como é a história pelo lado de quem está ali, no sufoco, escapando dos questionários, acusações e, principalmente, bolou o plano inteiro que deixou todos loucos. Se o nome o fez ficar um pouco confuso, porém o resto lhe interessou, sugiro que leia a resenha de O Talentoso Ripley. Mas não é de do Sr. Ripley ou de golpistas espertos que vim falar hoje – mesmo que tenha bastante a ver. Vim falar de ladrões. Sabe aquelas tramas de suspense complexas nas quais um inspetor passa um dobrado para decifrar roubos e assassinatos? Então, imagine como são as histórias do lado da maliciosa e engenhosa mente que bolou aquele estratégico plano que enganou muita gente – e ainda cobriu pistas. Igualmente ou talvez até tão empolgantes quanto os livros que trazem o ponto de vista do detetive ( ou seja lá quem está decifrando o mistério ) como o principal. Quem sabe até mais empolgante? E o engraçado é que os ladrões são “os vilões” (pois roubam de gente inocente e ficam ricos a partir de pertences ou quantias de dinheiro que, na verdade, não são deles ), mas, mesmo assim, tanto em Ladrões de Elite quanto em O Talentoso Ripley, torci até o final para os pilantras escaparem das autoridades. Creio que cheguei até a ficar com raiva dos inspetores…

Katarina é um ladra ( e não qualquer ladra! os ladrões do livro roubam obras de arte e outros artigos valiosos de museus ) desde que se entende por gente. Não só ela como sua família inteira. A lábia dos ladrões já está em seu sangue e seus parentes, que seguem com a carreira para a vida toda, esperam que ela honre a genética, como membra dessa trupe. Porém, a jovem está cansada disso tudo e se matricula numa escola normal, decepcionando bastante seus amigos e familiares ( que a adoram como parceira e veem como o insulto o fato de ela ter abandonado o “ramo” ). Mas não é possível se tornar uma ex-ladra tão facilmente…O pai da jovem está sendo acusado de ter roubado cinco quadros de um poderoso mafioso italiano – isso é, pelo próprio mafioso, pois depois descobrirmos que os quadros já eram roubados, ou seja, a polícia não pode se envolver. Acontece que ele não os roubou. Na verdade, estava com um outro “serviço” no mesmo dia, pelo qual está sendo perseguido pela Interpol. Encurralado entre duas ameaças, só Katarina pode recuperar os quadros e provar a inocência do pai – o que dará a vida do ladrão e seus familiares como recompensa.

Logo no começo do livro vemos a nossa protagonista ser expulsa do colégio em que começou a estudar. Aparentemente, ela foi responsável por roubar e bater com o carro do diretor da escola. Mas, na verdade, Hale, um ladrão bilionário galante que responde pelo título de seu melhor amigo, é quem armou para Kat a fim de que a jovem fosse expulsa do colégio. Isso pelo simples fato de que precisa entregar a ela a agradável mensagem de que seu pai está sendo perseguido por autoridades e ameaçado de morte. E mais: cabe a ela reunir uma equipe capaz de recuperar os quadros. A partir daí vemos Kat retornar a seu velho “ninho”, quando ela reencontra vários amigos e parentes que são especiais ao seu próprio modo. Todos com um ar diferente e principalmente malicioso por serem ladrões adolescentes que já realizaram “serviços” em lugares bem admiráveis de serem roubados. As pessoas com quem ela encontra estão, de maneiras diferentes, magoadas por ela ter abandonado – mesmo que somente por três meses, o que dizem no livro que trata-se bastante tempo para ladrões – a vida de crimes. E ela tenta, aos poucos, recuperar a confiança de todos e a manha para roubos, que acredita que perdeu um pouco.

Os quadros foram roubados por um ladrão de altíssima categoria. A morada do mafioso – de onde os quadros foram retirados – é praticamente uma fortaleza e o assalto foi feito espantosamente bem. Kat e Hale devem encontrar uma equipe boa o suficiente para encontrar os quadros e roubá-los de volta – e isso em somente duas semanas. O que pode exigir não só muito de adolescentes mas como também algo nunca antes realizado por criminoso – um assalto espetacular!

Os personagens do livro são maravilhosamente descritos e desenvolvidos. São figuras muito divertidas que encantam a história ainda mais. Além de Kat e Hale – entre os quais rola uma tensão amorosa de anos e anos de amizade -, temos ainda Gabrielle ( a prima de Katarina, que é um pouco burra e insiste em andar de saias curtas, salto alto e é bastante fútil – porém uma ladra eficiente ), os irmãos Bagshaw ( uma dupla muito engraçada e travessa e arrumam muitas confusões, principalmente com explosões… ), Simon ( um nerd de computadores que é um gênio em invadir programas de segurança e tende a se achar um pouco demais por isso ) e, finalmente, Nick ( um misterioso ladrão bate carteiras que Kat acaba encontrando num último momento e convidando para a equipe ). A escrita da autora é muito agradável. Ela inicia a maior parte dos capítulos falando de um assunto no geral. No primeiro, por exemplo, ela inicia falando sobre a escola de Kat e os alunos, adicionando sempre uma ironia ou outra e encontrando um meio de voltar para o personagem que a história deve seguir com. Gostei muito dessa técnica. A narrativa é bastante fluente. Foi tão fluente pra mim que não pude pegar minhas famosas quotes de resenha – só consegui uma que, infelizmente, tinha spoiler.

Em resumo, Ladrões de Elite foi um dos melhores YA que li esse ano. Foge um pouco dos clichês do gênero e ainda os explora de uma maneira bem interessante ( como o triângulo amoroso ). Gostei muito da escrita da autora e quero muito ler o segundo livro da série, que ainda não tem previsão para lançar aqui, o Uncommon Criminals ( Criminosos Incomuns, tradução livre ). A série teve seus direitos comprados para virar filme pela Warner Bros. e deve ser dirigido por Drew Barrymore ( que você deve conhecer como atriz, mas que já dirigiu filmes como Amor à distância e Whip It – Garota Fantástica ). A autora vive nos dando notícias sobre a produção em seu blog. A mais nova é que os personagens no filme serão mais velhos – como ela mesma disse, Kat deverá ser expulsa de uma faculdade ao invés de uma escola, ou seja, eles terão uns 20 anos ao invés de 16. Recomendo o livro para quem ainda não conhece os ladrões – ou conhece e gosta! -, curte YA ou uma aventura no estilo de Onze homens e um segredo com gosto mais jovem.

Anúncios

Sobre Victor

Gosto de cheiro de livros novos e de biblioteca com livros velhos, de livros ( dessa vez das letras mesmo ), de chocolate, de escrever, de ficar no computador, de dias frios com céu bonito, de ir ao cinema, passear no shopping com os amigos e de viajar. Ensino inglês e um dia ainda quero publicar alguma coisa. Bolsa Amarela, Harry Potter e a pedra filosofal , Entrevista com o vampiro e Crônicas de uma namorada são meus livros favoritos. Perdi a conta de quantas vezes vi "A Múmia". Quanto às séries que gosto, sempre mudo. Elas têm suas temporadas e eu tenho as minhas.

Um pensamento sobre “Resenha: Ladrões de Elite

  1. Eu amo livros tipo romance policial, espiões, organizações, ladrões acho fascinante. Realmente tem uma proposta bem diferente dos livros YA atualmente que só abrangem seres sobrenaturais e afins, não que seja ruim mas isso está um pouco saturado, outra coisa saturada e que juro que não suporto mais é triângulos amorosos em livros, custa fazerem uma personagem principal bem definida sobre quem quer amar?
    Enfim quando ler o livro comento aqui o que achei.

Escreva seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s