Resenha: A Garota dos Pés de Vidro

Midas é um fotógrafo que se auto excluiu do mundo. Certos acontecimentos do seu passado tiveram consequências irredutíveis em sua personalidade, o que o tornou alguém receoso ao contato com outras pessoas. Ele expressa seus sentimentos por meio das fotografias, sendo fotógrafo somente por hobby. Sua vida é comum e vazia até o dia que conhece uma garota monocromática. Uma garota que combina com a passagem do inverno e que ele sabe que dará uma boa foto.

[…] Uma garota estava sentada, tranquila, numa rocha lisa. Por algum motivo, ele não havia a visto. Ela parecia ter saído de um filme dos anos cinquenta. A pele clara e o cabelo loiro eram tão pálidos que pareciam monocromáticos. […] As íris dos olhos dela eram de um cinza-titânio, seu traço mais marcante. Seu lábios não tinham nada de especial e suas bochechas eram normais. Mas seus olhos…Ele percebeu que os estava encarando e rapidamente afastou o olhar.                                                                                   – Página 9

A jovem chama-se Ida e ela tem um problema um tanto grave com seus pés. Anda lentamente, se apoiando numa bengala, e está procurado desesperadamente por um homem que mora na ilha onde Midas vive e nasceu, um homem que ela conheceu em suas últimas férias pelo lugar e a quem precisa encontrar o mais rápido possível a fim de se curar. Ela está hospedada na casa de Carl, um professor universitário bem sério que teve um caso com sua mãe antes dessa conhecer o pai da jovem. Por sua vez, Henry ( o homem a quem Ida procura ) tem alguma relação com a mãe de Midas, assim como Carl foi amigo do pai do rapaz. A presença da jovem na vida de Midas irá não só despertar reações nele como irá mexer em muitas feridas do passado.

Algo em Ida o havia desarmado. Não apenas suas botas, seu cabelo, seu rosto. Era uma coisa estranha…A forma como a Ida real era de alguma forma mais atraente do que a Ida fotografada.                                                         – Página 20

O livro é composto por vários capítulos curtos e médios que alternam o foco entre vários personagens do livro. Dessa forma, é possível conhecermos mais de cada um e ansiarmos por sempre mais – quando chegamos ao climax da narrativa de um personagem, vamos para outro, que também nos trará curiosidade e por aí vai. É um pouco o que ocorre com Sou Louco por Você, porém mais alternado.

O autor também não se prende somente ao presente. Como disse anteriormente, várias figuras que Ida traz a tona remetem muito ao passado de ambos. Para explicar muito do que é consequência de antigos acontecimentos, alguns capítulos são flashbacks que muito esclarecem o presente. Ou somente narram como as coisas ocorreram. Quando, por exemplo, logo no segundo capítulo, sabemos que Ida está atrás de Henry e que ela o conheceu em suas últimas férias, já no quarto ou quinto capítulo o autor nos apresenta a história de como os dois se conheceram. Essa mudança tanto de pontos de vista quanto de tempos dinamiza a história e torna a narrativa fluente.

O autor tem uma descrição fantástica. Sua narrativa flui não só pelo dinamismo, mas também pelo cuidado que ele tem com o texto, descrevendo as belas paisagens, hesitações, sensações, tudo com algumas comparações e metáforas muito boas, que enriquecem a história ainda mais.

Fechou os olhos e sentiu certa felicidade por isso, junto da desconfortável ideia de que ela estava se transformando em vidro.                                                                          – Página 72

O romance de Midas e Ida ganha mais destaque da metade para o final do livro. A história é sensível e comovente, mas diria que boa parte desses sentimentos são despertadas por conta da relação dos dois personagens. Ida está virando vidro e, ao que se sabe, não há uma cura. Ela, Midas, os outros personagens e o leitor ficam tentados a sentir esperança, torcendo para que ela se recupere, que alguém encontre um remédio, ou a se preparar para um triste final. O autor segreda bem a conclusão da trama, nos dando motivos para acreditar em ambas as possibilidades.

Sentaram-se em silêncio e viram o sol brilhar. Ela pousou a cabeça no ombro dele. Ele colou a sua no alto da cabeça dela. / “Eu deveria tirar uma foto.” [Midas ] / “Não. Apenas se lembre disso, de nós aqui.” [Ida]. / Ele engoliu a seco. / Ela sorriu. Era o tempo e o local exatos. / Então, beijaram-se. O vento soprava sobre eles.        – Página 270 * cada / representa um parágrafo

A Garota dos Pés de Vidro é um livro cativante, com um enredo interessantíssimo e elegantemente escrito do início ao fim. Recomendo para os fãs de dramas, romances ou para aqueles que curtem um bom texto ou saboreiam um bom livro.

Anúncios

Sobre Victor

Gosto de cheiro de livros novos e de biblioteca com livros velhos, de livros ( dessa vez das letras mesmo ), de chocolate, de escrever, de ficar no computador, de dias frios com céu bonito, de ir ao cinema, passear no shopping com os amigos e de viajar. Ensino inglês e um dia ainda quero publicar alguma coisa. Bolsa Amarela, Harry Potter e a pedra filosofal , Entrevista com o vampiro e Crônicas de uma namorada são meus livros favoritos. Perdi a conta de quantas vezes vi "A Múmia". Quanto às séries que gosto, sempre mudo. Elas têm suas temporadas e eu tenho as minhas.

3 pensamentos sobre “Resenha: A Garota dos Pés de Vidro

  1. Parece ser tão legal esse livro, graças a sua resenha, vou ler ele logo que terminar O Poder dos Seis, passar ele na frente de alguns outros que tinha aqui para ler.

    • Sim, gostei demais, recomendei para muitas pessoas 🙂 Eu nunca li nada do Augusto Cury, mas, dica anotada, vou experimentar o autor começando por esse romance mesmo. Obrigado ^^

      Beijos,
      Victor

Escreva seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s