Resenha: O Poder dos Seis

“Eu nunca duvidei disso – Eu digo, o que é uma mentira; eu estava duvidando disso essa manhã.”

Sete – O Poder dos Seis

Esse além de ser um dos meus quotes preferidos, é mais ou menos o que você vai dizer quando terminar esse livro respondendo a alguém que falou “eu disse que era bom!”.
Agora, como O Poder dos Seis é a sequência de Eu sou o Número Quatro, pra entender alguma coisa é bom que tenha lido o primeiro. Se você ainda não leu, veja aqui a resenha e vá correndo ler.

Alerta: Já que é o segundo livro, é imprescindível que tenha algum spoiler do primeiro livro, mas não tem nenhum desse.

O Poder dos Seis veio superando Eu sou o Número Quatro e acrescentando mais ingredientes e emoções à história. Se você gostou do primeiro, gostar desse é quase certo. Se não gostou tanto assim, nesse com certeza tem mais chances de gostar.

O segundo livro da série Legados de Lorien já começa com uma diferença: a Sete é quem está narrando. Mas antes de você dar um ataque e arrancar os cabelos (afinal, Eu sou o Número Quatro termina com muita coisa para o John e a Seis nos contar), a narração do Número Quatro volta. O livro segue assim: de um lado, a perspectiva nova e distinta da Número Sete, vivento em um convento/orfanato na Espanha. Do outro, John, Sam e Seis na estrada sendo perseguidos tanto pelos mogadorianos quanto pelo governo dos EUA.

Infelizmente, no início O Poder dos Seis cai um pouco no risco constante de livros com duas historias paralelas: uma das duas fica “chata” enquanto você quer ler a outra. Enquanto você começa a gostar da Sete e quer entender o que está acontecendo com ela, precisa ficar voltando para encontrar três adolescentes irritados fazendo besteira. Mas, veja bem, é no começo. Conforme a história continua, isso muda completamente, até chegar a um ponto que você quer saber das duas histórias ao mesmo tempo (e Pittacus Lore resolve esse problema muito bem).

Nesse livro, os segredos vão sendo cada vez mais impressionantes, o livro pode te surpreender de verdade. Se em Eu sou o Número Quatro o romance era fofinho, nesse chega a dar para sentir na própria pele. A entrada de novos personagens (como a própria Sete!) ajudam a movimentar a história. O primeiro foi praticamente o John o tempo inteiro, preso ao ponto de vista dele, mas nesse você tem muito mais dos outros, mesmo nas partes que ele narra. E o final desse termina bem, mas é como no final do primeiro: deixa muita coisa para descobrir e encontrar (dosado com muita coisa nova e legal que nós aprendemos no livro).

Esse é, com certeza, um livro que vale a pena. Principalmente para quem gosta de heróis, superpoderes, adolescentes e sobrevivência. E, mesmo que o livro use elementos comuns de muita história conhecida por aí, ele consegue uni-los de uma maneira diferente e que quase não tem concorrência. Mas vamos lembrar: a série não é marcada por um estilo de escrita incrível. Legados de Lorien vale muito mais pelo ritmo e pelo estilo um pouco parecido com de filme.

Só para finalizar, uma coisa interessante que aconteceu enquanto eu lia. Eu não sou do tipo que reage muito ao livro, ele precisa me motivar mesmo. E eu passei metade do livro xingando personagem, soltando aqueles “meudeus!”, “aaah…” e qualquer reação do tipo, você já entendeu. E tem um monte de quotes para compartilhar, mas infelizmente eles são spoiler.

Extra:

Foi lançado um ebook chamado “The Lost Files: Six’s Legacy”, que, como você pode imaginar, conta a história da Seis até ela encontrar o Quatro. Até onde eu vi, não tem nenhuma previsão para tradução (principalmente porque é só em ebook), mas eu encontrei o primeiro capítulo traduzido aqui. De qualquer forma, vale saber que existe.

Título: O Poder dos Seis

Segundo da série Legados de Lorien

Primeiro livro: Eu sou o Número Quatro

Terceiro livro: The Rise of Nine (lançamento do original em inglês previsto para agosto de 2012)

Autor: Pittacus Lore

Editora: Intrínseca

Nas livrarias em português a partir de novembro de 2011

Anúncios

2 pensamentos sobre “Resenha: O Poder dos Seis

  1. tenho uma pergunta devido ao fato de eu ter deixado de ler o livro durante um bocado esqueci me de algumas partes. alguém me pode dizer onde e quando e em que capitulo é que john smith ganha o legado de criar fogo???? agradecia uma resposta o mais rápido possível para poder continuar a ler o livro

    • Oi 🙂
      A não ser que eu tenha tido um lapso gigante, ele não tem esse legado. No segundo livro ele não ganha nenhum legado novo. Mas acontecem algumas coisas, tipo uma pedra que “transmite” poderes. O John também tem aquilo as “luzes” da mão desde o primeiro livro

Escreva seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s