Viagem Ao Centro Da Terra – O Filme!

“Mesmo cumprindo o que se propõe, o filme deixa escancarado o que realmente é: um grande vazio”

Por Bruno Albuquerque de Almeida!

Ao dizer que determinado ator possui enorme carisma, muitos acreditam que isso o torna talentoso. Bem, em diversos casos tal observação demonstra-se ser verdadeira, mas infelizmente não podemos afirmar isso em relação à Brendan Fraser e Josh Hutcherson. O garoto, que fez um trabalho indiferente no ótimo “Ponte Para Terabítia”, aqui repete o mesmo( e agradeço aos céus por ele não ter sido escolhido como o novo Homem-Aranha), sendo seguido por Brandan Fraser, dotado de um carisma incrível – mas que não possui a mesma quantidade de expressões. E posso afirmar: esses são os menores problemas de Viagem Ao Centro da Terra – O Filme.

 

“Baseado” no livro de Júlio Verne, o longa mostra-se eficiente ao conseguir cumprir o que prometeu: um filme de aventura em família e garantir algumas risadas por parte do público. Mas, por mais estranho que pareça, essas boas características revelam-se prejudiciais ao desenvolvimento da trama. Já que o filme se preocupa sempre em se encaixar no gênero “Aventura”, ele é simplesmente isso do início ao fim: 3 pessoas adentrando em uma montanha, enquanto quase morrem o tempo inteiro. Aliás, a maneira como eles encontram o tal do Centro da Terra é estúpida: eles chegam lá por acaso. Sim, eles simplesmente entram em uma caverna, um raio derruba pedras sobre a entrada e eles começam a tentar achar uma saída, mas sem querer encontram o “mundo dentro do mundo”, como o personagem principal afirma.

E os problemas não param por ai: temos diversos clichês bizarros – “Tá me devendo uma/ Eu vi primeiro” – e situações evidentemente previsíveis – como a cena dos carrinhos da mineradora e a cena do chão muito fino. E para piorar a situação, o filme tenta se passar por inteligente o tempo inteiro, ao fazer citações à rochas metamórficas, estalactites e princípios da física encontrados em um iô-iô. O que está errado? Nada, só o fato do público alvo principal ser crianças menores de 12 anos.

 

Podemos notar também diversos furos no roteiro, como Sean, aparentemente aborrecido por ter que ficar com o tio, logo depois se mostrando feliz e entusiasmado, sem nenhum motivo. O filme é lotado de redundâncias: em várias cenas os personagens falam exatamente aquilo que está sendo mostrado, sem a menor necessidade,pois a idéia consegue ser transmitida por si só.

O filme também está repleto de erros técnicos: com uma montagem duvidosa, ao focar diversas vezes a personagem Hannah, que é completamente descartável e está ali só para dar um interesse romântico( mas forçado) ao personagem Trevor, interpretado por Brendan Fraser – assim como cortes repentinos logo após a fala dos personagem, em muitas cenas do filme. Sem contar os efeitos visuais, que por vezes parecem bons, mas em outros momentos deixam claro que aquilo não passa de uma modelagem em 3D no computador.

 

Mas o filme só tem aspectos negativos? Claro que não. O gancho para uma continuação na conclusão do longa é interessante, e a cena do funeral de Max, pai de Sean , é emocionante e linda, mesmo sendo bastante clichê. A dublagem de Guilherme Briggs é sensacional, dá uma nova visão ao filme. Aparentemente, ele foi feito para ser visto em 3D, pois diversas coisas durante a exibição se aproximam da câmera. Muitas coisas, aliás. E as piadas funcionam, mesmo sendo um alívio cômico forçado em diversos momentos, mas dou destaque à cena do rapel, imprevisível e divertida.

Então, é isso. Espero que tenham gostado da minha crítica, após semanas e semanas sem fazê-la. Até mais!

Nota: 5,0

Ps: eu ia dar nota 4,0 , mas esse filme não é tão ruim quanto Piratas do Caribe: Navegando em Águas Misteriosas.

Anúncios

Sobre Bruno Albuquerque

Crítico de cinema há 4 anos. Para os haters, o "metido a dono da razão".

5 pensamentos sobre “Viagem Ao Centro Da Terra – O Filme!

  1. Bruno!
    A história é tão empolgante, achei estranho sua nota… é 5,00 em uma escala até quanto?

    Se dá para rir, já está valendo!
    cheirinhos
    Rudy

    • Primeiramente: cada um tem uma opinião diferente sobre determinado assunto. Eu adorei o filme, como você, mas não posso negar os seus erros técnicos. Uma crítica deixa claro o que é certo, e o que é errado, e quando um crítico põe sua opinião pessoal em uma crítica, está cometendo um erro gravíssimo.

      Respeito sua opinião, mas o filme, como dito na crítica, é um grande vazio. Faltou trama, faltou algo a ser contado.

      E, se você acompanha o blog, deve saber que as notas das minhas críticas são de 0 a 10.

      Abraços, e até a próxima.

      Bruno.

  2. Adorei as críticas e outras coisas postadas , mas como se fala cada um tem sua opinião diferente da minha que mesmo sendo ficção quase o filme todo adorei assistir do início ao fim!!

    • eu vi esse filme na escola e muitisimo otimo e tenho que fazer o trabalho sobre este filme

      valeuuuuuuuuuu e so força da oraaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!!!!!!!!!!!!!!!!!
      e eu vou apreder muito sobre este filme e esse personagem e muito educado lorinha o professor e o subrinho

Escreva seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s