Velozes e Furiosos 5 – Operação Rio!

Juro, eu queria fazer um video a respeito. Mas a porcaria do meu Windows Movie Maker não tá funcionando, então…

“Velozes e Furiosos 5 – Operação Rio é uma surpresa. Mas, prepare-se: ela não é tão positiva quanto você imagina.”

A princípio, a série Velozes e Furiosos, mesmo sendo dona de uma arrecadação em dinheiro ENORME, nunca foi uma boa trama cinematográfica. As inúmeras vezes que o tal nos chama de idiota é de irritar o mais santo dos seres humano. E digo mais: a cada filme, meu medo de ser subestimado novamente aumentava. E, com esse QUINTO filme da série ( se continuar fazendo dinheiro do jeito que está, vai até o número VINTE), não foi nem um pouco diferente.

Ok, vou deixar os aspectos negativos para o final. Vamos começar com os positivos. Os personagens, que já foram muito bem desenvolvidos nos filmes anteriores ( mesmo passando pelas mãos de vários diretores diferentes ao longo do tempo), estão muito bem acomodados nesse filme. Os atores fazem seus papéis com uma naturalidade única – já que foram eles que deram tanto sucess o( e dinheiro) para tais atores. A trama, nem um pouco original, diverte e entretem bastante. Tipo, bem MESMO. Além do mais, o modo como tal é dirigida para o fim é capaz de cativar todos na sala de cinema. Ok, nem todos, mas enfim, prosseguindo…

O mais importante da série, na minha humilde opinião, é o pesado e brutal carisma da parte de todos os envolvidos. Desde o diretor ( Justin Lin, que pegou a série no 3º[ terceiro] filme), até os atores. Aliás, Tyrese Gibson está aqui melhor do que antes ( no segundo filme, Mais Velozes E Mais Furiosos), dando o melhor de si, e sendo o único nesse longa metragem à dar uma dimensão e profundidade além do necessário ao seu personagem. Outro que “se garante” aqui é Ludacris, o rapper que fez o videoclipe “Baby”, com o astro teen Justin Bieber. Juro que não esperava nada dele, e, mais uma vez, me surpreendo.

O problema começa no roteiro. E com o personagem de Dwayne “The Rock” Johnsson.

As coincidências, aqui, DOMINAM GERAL. Os furos criados e as pontas abertas deixadas pelo roteiro são de doer. Coisas desnecessárias são incessantes, e irritam de um modo até sarcástico. A duração do longa é muito maior do que deveria, colocando muita coisa desnecesária. Estou começando a me repetir aqui, mas acredito que isso seja necessário, pois tenho que deixar isso BEM claro por aqui. xD.

Os clichês ENCHEM O SACO. Principalmente o The Rock, um dos personagens mais sem conteúdo e clichezento que já vi nos últimos anos em Hollywood. Algo que ficou impregnado na minha cabeça como um dos maiores problemas do roteiro, da trama e da narrativa em si, foi o modo como trataram o Rio de Janeiro. Tudo bem, tudo bem. Sou suspeito para reclamar disso tanto quanto você, leitor, pois ambos somos brasileiros. Correto? Mas, diferentemente de filmes como O Incrível Hulk, nós não nos sentimos no Brasil. Erros físicos acontecem demais, mas isso não é um argumento contra o filme, é somente um comentário, pois erros físicos ( até propositais de vez em quando) aparecem até demais nos filmes de hoje em dia.

Mas, algo que incomoda até demais, são os personagens sem nexo e com os seus perfis MUITO MAL DESENVOLVIDOS. O que é que custa passar mais um tempinho pra desenvolver os personagens novos? Dois que me incomodam muito são – A namorada do Han( que está sempre com a sua pipoquinha em mãos, uashau) e A Policial Incorruptível( que, incrivelmente, é a única personagem brasileira policial que não se corrompe. Segundo o filme, 99,999999999% dos policiais da Polícia Militar Brasileira são corruptos. Ótimo, né?) Agora, perguntinha minha para o roteirista e o diretor deste filme:

PRA QUÊ DIABOS CRIAR UM ELO EMOCIONAL( quase ROMÂNTICO) ENTRE O VIN DIESEL E A POLICIAL INCORRUPTÍVEL???

PRA QUÊ DIABO SERVIU AQUELA CORRIDA ENTRE OS AMIGOS VALENDO 1 MILHÃO DE DÓLARES NOS CARROS DA POLÍCIA???

Ok, termino aqui a minha crítica… com esta minha revolta… Toma logo a nota do filme. Só dei ela por causa da cena fina, surpreendente e muito bem coordenada. Mesmo.

Nota: 6,0

Ps: primeiro filme que vi com a Bianca. xD,

Anúncios

Sobre Bruno Albuquerque

Crítico de cinema há 4 anos. Para os haters, o "metido a dono da razão".

Um pensamento sobre “Velozes e Furiosos 5 – Operação Rio!

  1. Eu nao esperava quase nada desse filme e, como você falou, acho que é uma das chaves para curtir as cenas mais legais, ao menos. Tem sempre aquelas partes, por mais que toscas, que você fica de boca aberta e diz: “Maneiro!”, de olhos brilhando. As gafes sobre policiais corruptos, a favela permitir a entrada deles sem problemas, erros com a geografia do Rio de Janeiro – sou carioca e percebo huahua – e, o que mais me irritou, carros de PMs IMPORTADOS, sao o que às vezes doem os olhos, mas fora isso, é um bom filme para se distrair, caso nao haja outras coisas que você já viu ou se interesse no cinema rs. Concordo bastante com você sobre o filme, apesar de nao ter acompanhado tanto a franquia.

    Abracos,

    Victor

    PS.: Devo observar também que o gancho para a continuacao foi ótimo.

Escreva seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s