Os Herdeiros e Cinda Williams Chima

Bem, já que as próximas resenhas serão sobre a trilogia dos herdeiros, eu decidi fazer um post especial para introduzir as pessoas nesse universo. A primeira resenha já está aqui, do livro O Herdeiro Guerreiro. Nesse domingo colocarei a de O Herdeiro Mago. Enquanto isso, por que não falar um pouco mais?
Essa é a primeira trilogia da autora Cinda Williams Chima, já finalizada. No total, são três livros: O Herdeiro Guerreiro, O Herdeiro Mago e O Herdeiro Dragão, todos lançados aqui no Brasil pela editora Farol/DCL. Além disso, há boatos de que a escritora fará livros para as outras ordens (encantadores, feiticeiros…), mas nada que tenha saído do papel até o momento. Se for verdade, provavelmente sairá no site oficial dela.

Mas que droga é essa de ordens e tudo mais? Esse é um dos objetivos de fazer esse post, mostrar o clima dos livros. Então, tirei do primeiro livro (não conta como spoiler, relaxa!) uma parte sobre a formação das ordens e a origem do problema que explica a série.

“Cinco primos perambulavam em um vale encantado no norte da Inglaterra. Lá vivia um imenso dragão. O dragão dormia no topo de uma montanha feita de pedras preciosas. Ao descobrir o tesouro, os viajantes, sem perceber o dragão, começaram a lascar pedaços da montanha para levar consigo. O dragão acordou com um rugido, exigindo saber quem se atrevia a lhe roubar o tesouro. A fim de se salvar, os primos engoliram as pedras que haviam roubado. Eram pedras mágicas que lhes conferiam poderes fantásticos, mas que também os tornavam escravos do dragão e os prenderam ao alto vale conhecido como Ravina do Corvo.

Os primos serviram o dragão por sete longos anos. À noite, conspiravam juntos, embora o dragão dormisse com um olho aberto. O mago escreveu um contrato de proteção mútua que todos assinaram com sangue. O adivinho avisou-os de que não deveriam matar o dragão, apenas colocá-lo para dormir, ou perderiam os poderes que haviam adquirido com as pedras mágicas. O encantador cantou para o dragão, distraindo-o, enquanto o feiticeiro preparava uma poderosa poção do sono. Ao guerreiro foi dada a tarefa de derramar a poção na orelha do dragão.

O plano funcionou perfeitamente. Foi somente quando os primos celebravam a vitória sobre o mestre de outrora que o mago revelou o domínio sobre as outras ordens. Se o contrato fosse rompido, o dragão despertaria e exigiria uma terrível vingança de todos eles.” O Herdeiro Guerreiro, páginas 185 e 186.

Os livros tratam justamente desse momento em que o cenário causado pela traição dos magos começa a mudar. Cada livro mostra a história particular de um personagem e como ele influencia nessa transição. Se você é daqueles que se apega, nada de desespero, os personagens que você conhece não deixam de aparecer, eles só passam a ser vistos sob um novo ponto de vista. Aliás, isso de como o personagem principal influencia no modo como você vê os outros é um ponto alto da trilogia.

Outra coisa que eu quis mostrar com esse trecho é o tipo de narrativa. Ela se diferencia da comum dos livros YA que tanto vemos por aí ao dar esse tom de algo antigo. Em outras palavras, conta algo atual com certo clima antigo.

Bem, agora mudando de assunto. Tem uma coisa muito séria que eu precisava dividir aqui. Cinda Williams Chima, que cabelo é esse?

Acho que isso é a única coisa que eu não entendi. Parece que essa mulher saiu de outro planeta, ou algo assim. De qualquer forma, não se preocupem, esse padrão de estilo não se repete na trilogia.

Vou parar por aqui. Se eu conseguir, coloco umas entrevistas com ela essa semana aqui, ela falou algumas coisas legais para quem pretende ser escritor.

Se quiser, você pode encontrar outras resenhas do primeiro livro aqui e aqui.

Fora do mundo dos herdeiros: 

A escritora também tem outra trilogia, Seven Realms (Sete Reinos) que eu ainda não tive a oportunidade de ler e nem foi lançada em português (até onde eu sei, né). Os livros são: The Demon King, The Exiled Queen (já lançados) e The Gray Wolf Throne (deve sair no meio do ano). Uma coisa interessante é que as capas seguem o mesmo padrão dos livros dos herdeiros (a capa brasileira é igual à americana). Você consegue saber que é da mesma autora só vendo:

Anúncios

2 pensamentos sobre “Os Herdeiros e Cinda Williams Chima

  1. nunca tinha lido sobre a série, parece ser muito lgl! e toda essa história me lembrou bastante algum tipo de roteiro de rpg^^


    hangover at 16

Escreva seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s