Seven – Os Sete Crimes Capitais!

“Seven – Os Sete Crimes Capitais é um filme inteligente e que deixa o público pasmo após a sua conclusão e que agrada pelo seu desenvolvimento, pelas personagens complexas, pela atuação e pelo modo como a história magnífica que este possui é esclarecida e muito bem coordenada.”

Por Bruno Albuquerque de Almeida!

David Fincher é um diretor que provou ser mestre no que faz e ser dono de uma paixão indomável pela sétima arte em Clube da Luta, filme que o consagrou em sua carreira, além de mostrar todo o potencial interpretativo de Edward Norton, Brad Pitt e Helena Bonham Carter. Mas, antes de fazer uma verdadeira obra de arte como Clube da Luta, o que Fincher fez para conseguir o cargo mais importante de um dos melhores filmes de todos os tempos? Simples: ele dirigiu Seven – Os Sete Crimes Capitais.

Para começar, Seven – Os Sete Crimes Capitais é um filme inteligente e que deixa o público pasmo após a sua conclusão e que agrada pelo seu desenvolvimento, pelas personagens complexas, pela atuação e pelo modo como a história magnífica que este possui é esclarecida e muito bem coordenada.
Morgan Freeman, que, na minha humilde opinião, consegue fazer ótimos trabalhos no cinema, consegue aqui uma de suas melhores interpretações, vivendo o solitário William Somerset. Ele incorpora a personagem de uma maneira excepcional, assim como o outro protagonista, David Mills, interpretado por Brad Pitt, outro ótimo ator, que também faz um excelente trabalho neste filme.
A história, super original, criativa e muito bem desenvolvida, mostrando todo o cuidado que tiveram ao escrever o seu roteiro, nos revela que Fincher é um dos diretores que não se preocupa em somente “fazer dinheiro”, mas também em criar uma história envolvente, desenvolvendo quase ao máximo seus personagens e criando um suspense e cenas de ação de tirar o fôlego, garantindo tensão em todos os que assistem.
As homenagens à antigos filmes policiais são ótimas, mas que deixa um filme meio infantil em alguns momentos, mas ainda bem que não é nada que passe por cima de suas brilhantes características positivas aqui citadas anteriormente.
O final, arrasador por si só, conta ainda com a ajuda irrecusável de Kevin Spacey, que aqui demonstra como um verdadeiro serial killer agiria em uma situação real: friamente, dando explicações bem executadas para os assassinatos.
E que assassinatos! Dá nojo só de olhar de relance, imagina, então, imaginar como os assassinatos ocorreram. A fotografia, suja, “rabugenta” e completamente original mostra, assim como em Clube da Luta, o gosto de Fincher pela sujeira em cena. Os cenários, simplesmente sensacionais e bem construídos, visando os detalhes enriquecedores são fenomenais.
É por isso que classifico Seven – Os Sete Crimes Capitais o meu terceiro filme favorito! Alguem, comprem, seja lá como for que vocês cheguem à esse filme: mas assistam-no, e assistam-no, e assistam-no, e assistam-no. Pois ele é fenomenal!
Nota: 9,7
RECOMENDAÇÃO MÁXIMA!!!


Para mais críticas minhas!
Anúncios

Sobre Bruno Albuquerque

Crítico de cinema há 4 anos. Para os haters, o "metido a dono da razão".

3 pensamentos sobre “Seven – Os Sete Crimes Capitais!

Escreva seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s